23.2.12

Regresso a Candelário

Mapa

As idas a Candelário, fazem-se para conciliar a vontade de esquiar(que  eu não tenho), com a minha vontade de voltar a uma terra linda, não demasiado longe e onde há boa comida, em especial "los embutidos".


A família esquia menos mas(espero eu) come melhor, do que quando vai sem mim para Andorra ou para a Suiça.
Em Candelário o programa é simples: Elas saem de manhã, já vestidas a rigor e com os esquis ao ombro. Eu, depois dum pequeno almoço decente, passeio, descanso e trato de mercearias e cozinhados.

Não levei quase nada  de Lisboa, para além dum lombo de porco que alegrou algumas sandwiches, sal e chocolate para o leite.
Assim, lá fui ao supermercado Neila (onde já me conhecem) fazer as compras.

Cebolas
Batatas
Alho
Beringelas
Tomate fresco
Tomate frito
Pimento italiano
Pimenton de la Vera
Oregãos
Cominhos
Borrego(peito)
Febras de porco
Papada Adobada
Ovos
Queijo de cabra
Manteiga
Azeite
Pão
Vinho branco (verdejo)
Cerveja
Sumos
...
Logo no primeiro dia fiz um ensopado de borrego com o "costillar" do mesmo, que comprei no Neila. Não comprei muito porque era só para mim, pois aquela carne com gordurinhas, peles e frágeis ossos não agrada às meninas.
Temperei a carne com alho picado, pimentón, cominhos e oregãos (tudo o que tinha...) e reguei com vinho branco. Assim ficou a carne durante duas horas, nas quais eu passeei, revisitando a terra. Depois, já com sede, fui tomar "una copa" ao Ruedo.
Y de tapa que quieres?
Me gusta la assadurilla.
E lá bebi a cerveja acompanhada pelo pratinho com guisado de miudos de cabrito y que rico!
De regresso a casa, escorri a carne que alourei num pouco de azeite e reservei.
Na mesma panela refoguei a cebola, e juntei-lhe dois pimentos em pedaços. Quando começavam a alourar juntei trêscolheres de sopa do tomate frito e logo a seguir a carne e a sua marinada.
Juntei um copo de água e sal. Coloquei a tampa e deixei a fervilhar enquanto tratava de descascar as  batatas, que depois foram para a panela partidas na forma que em Espanha se chama "cascadas" e que consiste em iniciar o corte e depois forçar a batata a partir de forma irregular. Desta forma consegue-se que  seja libertado mais amido e assim engrossar o molho.
Depois de cozidas a batatas, foi só corrigir o tempero e comer com umas fatias de pão torrado. Só lhe faltou uma folhinha de hierbabuena

- Fizeste ensopado de borrego para o teu almoço? És doido!

Foi o elogio que tive quando a família chegou. Nesse dia (sábado) não fiz jantar pois tínhamos a companhia de uns amigos e rumámos ao Ruedo para "cenar"
(continua)

8.2.12

CHP

Não nasci para vegetariano e tanto faz que me tomem pela barriga, pela cabeça ou pelo coração.
Se o assunto é comida, então gosto de carne, gosto de peixe, gosto de tudo o que tem pernas e do que não tem, gosto do que mexe e do inanimado, gosto do doce, do salgado e do picante. Gosto.

Claro que se dependesse só de mim, não comeria bifes, pois matar bois ou vacas está fora de questão, também não me vejo a pegar numa faca e cortar a goela a um borrego e se calhar mesmo a visão duma simples galinha subitamente inerte sem ser por via do hipnotismo rural do meu primo Rui, deixar-me-ia sem apetite durante uns instantes(até estar o bicho depenado). Cada um é para aquilo que é, e eu a matar bichos nunca serei artista, já para "matar o bicho" revelo habilidades diferentes.

Digamos que se desse mais atenção aos macaquinhos do sotão, até podia ser um papa couves a tempo inteiro mas não sou. Começo a salivar quando me falam em cabidela, lampreia, arroz de coelho, postas mirandesas, arouquesas ou outras, e ostras, ameijoas, conquilhas e berbigões fazem-me brilhar os olhos, como quase tudo o que mexe, tirando ratos e baratas.

Mas, se me servirem vegetariano bom, como e gosto. Se me servirem um thali excepcional então repito, recomendo e se for preciso até dou cambalhotas de alegria.

Um prato grande, tipo tabuleiro, onde nos servem uma tigela com dhal, outra com feijão guisado, um caril de batatas e ervilhas, kachoris, chapatis, paparis, salada, arroz e pickles. Para beber lassi salgado e para acabar café(ou chá) e um doce. Tudo isto servido com simpatia e por 10 euros.

O thali, além de delicioso, vai variando consoante os dias mas, no fim de contas, é sempre um conjunto de iguarias semelhante ao que descrevi.

Sem medos!



Comunidade Hindu de Portugal
Cantina CHP

Al. Mahatma Gandhi, Complexo Comunidade Hindú,
1600-500 Lisboa, Portugal
Linha direta: 21 752 49 82

Horário das Refeições:
De 3ª feira à Domingo
Almoço: 12:00H às 14:30H
Jantar:20:00H às 22:00H
Descanso do pessoal:2ª feira

6.2.12

Za'atar

Será que tenho de ir a Londres para comprar mais za'atar?

Wikipedia link

5.2.12

Então não se come nada?

Pois é, comer até se vai comendo, diariamente e nada mal. Mas para haver escrita falta qualquer coisa.
Talvez esta semana regresse.
Não é uma promessa, mas é um dizer que estou vivo

Até já