3.12.12

Tapita

uma tapita. só uma. e senti-me reconfortado neste final de dia.
encontrei no youtube um No Reservations que ainda não tinha visto, sobre o Viet Nam e a meio deu-me uma fominha.
nenhum ronco no estomago, nem um desejo de coisa substancial, mas antes aquilo que (acho eu) todos os Portugueses gostam mas dificilmente encontram por cá. uma tapita.

olhei para o frigorífico e encontrei um resto de painho de Estremoz. consegui cortar 6 rodelas finas e levei ao lume uma frigideira com uns pingos de azeite. depois de quente juntei meio dente de alho picado e o painho.

quando começou a fumegar e o alho a alourar, apagei o lume e baptizei aquilo com umas gotas de vinagre tinto.
agitei para acalmar o vinagre e despejei sobre uma fatia pequena de pão alentejano - foi pena não ter um papo-seco, pois seria ainda melhor em meio papo-seco, assim as rodelas não caíam

isto é uma tapita

e com um copo de um desses bons tintos de baixo preço que ainda se encontram por cá (vá de retro ó Gaspar) voltei para a frente do Bourdain para ver o resto