30.8.11

A crise - 1


A crise não é coisa de agora, embora a última seja sempre a pior, pois as outras já passaram.

Esta crise, mais cedo ou mais tarde, vai afetar as nossas refeições e ainda mais as nossas idas a restaurantes.
 Em relação aos últimos, nada se pode fazer, pelo menos enquanto os preços dos pratos não forem sujeitos a discussão prévia ou póstuma, mas naquilo que respeita às nossas refeições caseiras muito se pode mudar/poupar.
Cascas, talos, pão duro, ossos e espinhas são apenas uma pequena lista, mas apontam o caminho. Muito do que deitamos fora tem aplicação culinária e nem por isso cairão na lama quaiquer parentes pois sendo eles mais velhos que nós era assim que comiam então.

Os ricos e esbanjadores somos nós. Daí a crise.

12.8.11

Agosto e férias


Grelhados e saladas foram a base da alimentação caseira nestas férias algarvias e como tal não houve grande conversa para o blog.
Foram muitas costeletas do "porco tradicional" que se compra no talho das Cabanas, as cavalas grelhadas, o franguito, as gambas. Conquilhas nem vê-las, pois a apanha está proibida por causa duma toxina diarreica (ugh!)
Fiz uma salada de frango com os restos do frango grelhado, que foi inspirada numa receita da Tertúlia e agradou-me ao ponto de ter grelhado outro frango  para depois aproveitar os restos.
O frango assado sem ossos e aos pedaços, pêssegos amarelos, milho e cubos de queijo gouda. Para envolver misturei 2 colheres de sopa de maionese com igual quantidade de iogurte grego natural. sumo de meio limão e uma mistura de folhas de hortelã e tomilho fresco.

Mas o melhor no capítulo alimentar foram as 2 idas à  Noélia - da primeira vez serviu-nos uma tapa de biqueirão excelente. Uma fatia fina de pão do bom, coberta com um salmorejo (tomate,alho,oregãos e pão) espesso e por cima uns mini biqueirões alimados. O Algarve litoralno seu melhor. Depois veio o atum à algarvia e uns liguidinhos fritos com açorda de que a minha filha falou durante o resto das férias.
Na segunda incursão começámos com polvo com batata doce(de Aljezur) e depois salada de gambas com manga  e jaquinzinhos fritos com migas de tomate. Os jaquinzinhos eram tão frescos que chegaram ao restaurante depois de nós.

A última saída de monta foi ao La Chuleta em Villablanca. Salada de tomate que me enervou de tão boa. Tomate. sal grosso e muito azeite para molhar o pão. Revuelto de la casa - com batatas, alho francês, pimento verde e presunto que fizeram a princesa saltar de alegria e uns singelos msa muito bons secretos. Tudo isto debaixo dum céu de estrêlas e quarto crescente.

Agora sigo para o Alentejo onde me esperam outros gaspachos. Pelo meio tive um inesperado almoço no Tentações de Goa, acompanhado por amigos que foram surpreendidos pela presença do recém chegado Jesus que veio de Goa passar umas férias em Lisboa. Para poder falar português!