28.11.09

Promessas

Vou ao Porto ver o concerto do Rodrigo Leão e ainda não publiquei receita alguma. Promessas leva-as o vento e como tal continuo a prometer escritas:
A receita das broas
Codornizes com vinho tinto
Um frango assado dedicado ao Jesus(do Tentações, claro)
Arroz com grão
...

26.11.09

Hoje passo música mas amanhã escrevo

Eu sei que estou a demorar muito entre escritos, mas hoje vou passar música no Frágil e a escolha dos discos ocupou bastante tempo. Se juntar a isso duas festas de anos cá em casa, fica alguma demora explicada.
Amanhã escrevo

20.11.09

Trauma

Estou a investir no trauma, ou seja, estou a fazer broas de café.
No final penso sempre que "não estão más, mas... "

dois dias depois...

Não ficaram más de facto, a Maria dos Anjos (Tentações de Goa) até as achou boas, mas isso foi porque nunca tinha provados das "mesmo boas".

17.11.09

Miso

Quando passo uns dias sem escrever nada fico inquieto, como se faltasse qualquer coisa ou se tivesse chegado o dia em que a vontade de escrever no blog acabou. Sim, esse dia chegará, afinal já são cinco anos a contar o que me passa pelo buxo, isto marca.
Mas ainda não foi desta e até tenho uma boa experiência culinária para contar.

Salmão marinado em miso branco.

Há algum tempo vi no Rasa uma receita de um tal black cod with miso, receita do Nobu, que me chamou a atenção por causa do miso que nunca usei, fora uma ou outra sopinha japonesa, daquelas aguadas mas fortes de sabor.
De qualquer forma não tinha miso branco em casa e a coisa ficou por aí.
Há uns dias fui ao Supermercado Chen da rua da Palma e dei de caras com o tal miso branco que por acaso é castanho claro, e foi dessa que a coisa se proporcionou.
Com nunca vi Black Cod, pensei em fazer com robalo, mas depois pensei melhor e fiz com salmão, que é mais barato e para testar serve bem.
Preparei a marinada com:
  • 1 chávena de chá com miso claro
  • 2 colheres de sopa de molho de soja
  • 1 colher de sopa de sakê
  • 1 colher de sopa de vinho branco
  • 1 colher de chá com açúcar
  • 1 colher de sopa com gengibre picado
  • 1 colher de sopa com cebolinho picado
e deixei lá as postas de salmão durante 3 horas. Depois tirei-as, deixei escorrer o excesso de marinada e foram ao lume numa frigideira anti-aderente, untada com um pouco de óleo. 3 minutos de um lado e menos de 2 do outro chegam bem para cozinhar o salmão.
Para acompanhar cozi arroz japonês, temperei como para sushi e depois juntei-lhe cubos pequenos de pepino.
Todos gostaram e por isso o salmão desapareceu rapidamente. Para a próxima vou experimentar com o robalo.

12.11.09

Coisas no forno

Na quarta-feira entrei no super mercado sem saber muito bem do que precisava, ou melhor, se havia razão para lá ir, além de comprar leite. Acabei por comprar ovos, farinha, manteiga sem sal e maçãs reinetas para fazer um bolo de maçã,como a minha filha gosta.

Antes disso tinha feito uma massa de piza, que ia ser a base sobre a qual cairia o resto do jantar. Piza e bolo de maçã são duas das comidas preferidas da princesa.
Fiz o bolo seguindo uma receita já testada e aprovada, que é assim:
Misturar 125g de manteiga amolecida com 150g de açúcar e bater um pouco para desfazer o açúcar.
Juntar 3 gemas e bater de novo.
Aos poucos juntar 150g de farinha c/fermento e misturar com cuidado para desfazer quaisquer grumos. Juntar 1 colher de sopa de canela e outra com vinho do Porto.
A esta massa juntam-se depois as três claras batidas em castelo e envolve-se tudo e deita-se para uma forma(eu usei um pirex redondo) untada com manteiga e polvilhada com farinha.
Sobre a massa, arrumei 2 maçãs, descascadas, descaroçadas e cortadas em 9 ou 10 fatias. Polvilhei com canela e levei ao forno já aquecido(180º) durante meia hora. Ao sair do forno polvilhei com açúcar em pó.
Enquanto o bolinho arrefecia, estendi a massa da piza, untei com azeite, espalhei um pouco de molho de tomate feito com tomate fresco triturado, um dente de alho, óregãos, tomate seco e azeite. Este molho foi cozinhado durante 10 minutos numa frigideira e espalhado na piza depois de arrefecer.
Sobre o tomate espalhei cubos de 2 belos queijos de ovelha nacionais (um era de Celorico mas o outro já não sei) e por fim fatias finas de tomate fresco.
Ao sair do forno levou um pouco de azeite cru e parmesão ralado.
Ficou tão boa que a menina, no dia seguinte, perguntou-me o que tinha feito ao bocado que sobrara e tive de aquecer o resto.

8.11.09

Restos de arroz

Um boa ideia para aproveitar sobras de arroz no Guardian

7.11.09

Tertúlia de Sabores faz anos

A Moira pediu-me um texto e, por fim, o mesmo apareceu.
Grão com carne picada

6.11.09

Três bifes para quatro pessoas

Tinha 3 bifes para 4 pessoas, ou seja podia dispensar uma das pessoas, partir a carne aos pedaços e juntar coisas para fazer render ou espalmar os bifes, rechear e servir às fatias. Optei pela última.
Com o martelo da carne e película aderente(para proteger a carne), espalmei os bifes para ficarem maiores e mais finos.
Fiz um refogado ligeiro com cebola e alho picados a que juntei 3 filetes de anchova que desfiz com a colher de pau. Juntei um pacote de espinafres frescos, e temperei com sal e pimenta. Depois de apagar o lume juntei 2 colheres de sopa com coentros frescos picados, deitei tudo numa tábua e piquei grosseiramente.
Estendi um pouco mais de película aderente e sobre ela arrumei os bifes, sobrepondo-os. Temperei com sal, barrei com os espinafres e, com a ajuda da película, fiz um rolo, que depois segurei com cordel.
Alourei a carne na frigideira com um pouco de manteiga e levei ao forno (180º) durante 15 minutos. Deixei-a descansar, tirei o cordel e então cortei o rolo.
Fritei batatas em palitos finos para acompanhar e claro que até sobrou um pouco. Não é o milagre dos peixes mas são três bifes para quatro pessoas. Uma solução que fica com bom aspecto e permite muitas variantes no recheio.

4.11.09

Amigos de Lisboa e a comida goesa no Come-se

Destaco o texto da Neide sobre a nossa visita ao Tentações. Texto e fotos a não perder, como sempre.
link

Casa Julián de Tolosa

Fui a Madrid a correr para ver o (fantástico)concerto do Rodrigo Leão, mas aqui falo de comida e assim reparo que mais uma vez comi muito bem em Madrid.
Fomos almoçar à Casa Julián de Tolosa una comida de puta madre, embora só o recomende a quem gosta de carne.
Começámos com jamón y lomo. Tanto o presunto como o paio eram de excelente qualidade e o pão que veio para a mesa era criminoso de tão bom. Espargos e cogolhos com vinagreta e maionese completaram as entradas.
Depois chegam as fatias de chuletón grelhado e bem. Vermelhas por dentro e tostadas por fora. Para acompanhar trouxeram pimentos de piquillo, assados lentamente, o que os deixa com um sabor adocicado, a combinar na perfeição com a carne. Pimentos e mais nada, o que poderá surpreender aqueles que sempre querem a sua batatinhaa. Eu fiquei muito contente com o negócio.
Foi um excelente almoço e para repetir, embora tenha lido alguns reparos na net sobre quem lá vai sem ser conhecido. Isso e os preços podem afastar alguns...
Obrigado Cruz, por um belo almoço.