29.8.06

Fim de semana em Avis

Mais uma vez, fui passar o fim de semana nos arredores de Avis.
Como sempre houve idas ao Fava, refeições improvisadas e refeições planeadas. Coisas feitas por mim e outras onde não tive qualquer papel. O normal .
No sábado de manhã percebi que ninguém iria fazer compras a tempo de preparar o almoço e por isso, andei a verificar o que havia.
Esta é a lista do que encontrei :
 - 5 batatas
- 5 ou 6 chalotas
 - vários dentes de alho
- latas de atum e sardinha
- cenouras
 - temperos variados incluindo azeite e algumas especiarias
 - 2 iogurtes naturais
 - pão
- 3 limões
- 1 frasco com azeitonas verdes recheadas com pimento
 Só havia 4 adultos para alimentar , mas a lista de víveres não era nada brilhante…
Comecei pelo óbvio, cozer as batatas. Ao fazê-lo , sabia já que não iria poder fugir a mais uma salada de atum e assim foi .
Batatas cozidas , 2 latas de atum , 2 chalotas picadas , 10 azeitonas picadas , alcaparras , orégãos, uma pitada de cominhos , azeite e sumo de limão .
Misturei tudo e levei ao frigorífico. Enquanto cozia as batatas deixei os 2 iogurtes a escorrer , para assim conseguir torná-los mais espessos e cremosos ( se tivesse daquele óptimo iogurte grego não era preciso fazer isto … mas eu andava aos restos ).
Depois de terem largado um bom bocado de água , bati-os com um garfo e guardei no frigorífico, pois já tinha decido fazer com eles uma espécie de raita. Ralei uma cenoura grande, para cima dela ralei 1 bom dente de alho e espremi 1/2 limão. Juntei depois os iogurtes , sal , cominhos, pimenta e misturei , provei , corrigi e foi para o frigorífico refrescar.
Como estava a ficar sem ingredientes perguntei ao dono da casa se valia a pena abrir as latas de sardinhas e ele disse que sim.
Abri as 2 latas , escorri e arrumei as sardinhas num prato. Quando vi as latas pensei em fazer um paté com aquilo , mas não tinha grande coisa para isso e desisti da ideia. Deitei um pouco de pimenta e sumo de limão sobre as pobres sardinhas e foi então que me lembrei de fazer mais qualquer coisas para ajudar aquele prato demasiado simplório. Tirei a côdea a 3 fatias de pão mais ou menos duro e deitei-as para o copo misturador para fazer um pão ralado grosso. Coloquei ao lume uma frigideira com umas colheradas de azeite e 4 dentes de alho picados ( se tivesse anchovas ficariam aqui bem , 2 ou três , desfeitas ) . Assim que o alho começou a estrebuchar com os calores , juntei o pão ralado , envolvi bem e deixei fritar um pouco . Deitei-lhe um pouco de sal e pimenta e levei para a mesa , com indicação de cada um deitar a quantidade que quiser sobre as sardinhas.
 Na companhia de uma salada de alface , rúcula e cebola , bem temperada pelo nosso anfitrião , comemos aquilo tudo, com prazer e alegria , sentindo o calor crescer, com o sol abrasador do Alentejo e vendo, ao longe, as ovelhas a dormir à sombra das oliveiras.

24.8.06

Beterraba

Na terça-feira fiz o puré de batata cor de rosa, a pedido da minha filha . Trata-se de um puré de batata normal – batatas cozidas e passadas , manteiga , um pouco de leite , sal e noz moscada – ao qual adiciono um pedacinhos esmagados ( 1 colher de chá )de beterraba cozida, o que produz uma cor rosada que é muito do agrado da minha princesa.

Claro que sobrou beterraba , pois eu tinha cozido duas já a pensar em comer beterraba no dia seguinte . Para cozer a beterraba não faço nada de especial . Descasco-a (também pode ser cozida com a casca ou assada , mas eu optei pela solução mais simples )  e cozo-a em água com umas pedrinhas de sal . Assim que lhe consigo espetar a faca , apago o lume e deixo arrefecer na água .

No dia seguinte cozi 2 ovos e 1 batata, juntei  com as beterraba e parti tudo em pedaços pequenos . Juntei 1 cenoura ralada , 1 colher de sopa com salsa picada , 2 colheres de sopa com azeite , 1 colher de chá com alcaparras , 1 lata de atum , três colheres de sopa com maionese e sumo de 1 limão .
Misturei bem , provei , corrigi o sal , deitei uma pitada de pimenta e levei ao frigorífico durante 1 hora .

Servi esta salada de beterraba ao jantar com uma salada de rúcula , cebola e queijo feta  temperada apenas com azeite .

21.8.06

O regresso

Já olhei duas ou três vezes para o blog sem saber muito bem o que escrever. As férias, foram mais sol que cozinha e esta era tão pobre, que pouco passei das saladas de atum ( a russa e a de grão )e massas com coisas . Fiz também boas saladas de fruta, mas estas não têm grande saber. No verão , com pêssegos , algumas peras , melão maduro , uma ou outra banana , os eteceteras que o mercado fornecer e uma hora de frigorífico, fica sempre bem. Nos 15 dias que passei nas Cabanas também houve visitas a restaurantes , com uma desilusão – a Noélia do Jerónimo , onde já comi bem, mas desta vez foi péssimo. Pedi chocos à algarvia, que não sabiam a nada e vinham acompanhados por umas batatas fritas cujo cheiro devia dar direito a prisão e a mim tirou todo o apetite. Comi bem no Juan Macias de Ayamonte , onde há falta de melhor ( e não foi o caso ) o excelso presunto salva sempre o dia . Desta vez também experimentámos uma paella serrana (naquele restaurante não há peixe e por isso ao paella leva apenas carnes e legumes ) que estava muito boa. Noutra ida a Ayamonte, encontrámos o Macias demasiado cheio e fomos ao Cocedor de Ayamonte , para nos regalarmos com puntillitas ( micro lulas ) fritas que há muito não comíamos e estavam excelentes , tendo merecido a aprovação da minha filha, que nunca tinha comido (ou visto) tal coisa e a princípio nem queria experimentar . Aí também comemos uma paella de marisco que soube muito bem com a sombra quente da esplanada regada a imperiais geladas. Nas mesas em volta andaluzas de todas as idades abanavam-se com os seus leques rituais . Também comemos bem (e várias vezes ) no despretensioso Dunas das Cabanas. Sair da praia e, a caminho de casa, encontrar uma esplanada com uma boa salada de polvo , boas amêijoas e conquilhas , bom pão e por vezes pratos do dia interessantes, é uma sorte neste Agosto de multidões . Ser atendido com simpatia e pedir (e receber rapidamente ) imperiais geladas é quase esperar demais . Mas eles trazem. Agora é o regresso , para a alimentação familiar , com experiências e novidades de vez em quando. O costume. Está reaberta a montra para a minha cozinha .

4.8.06

Ferien - Vacaciones - Vacances - Vacations ...

Estou de férias até meio de agosto . Não creio que me apeteça sair da praia para ir ao cyber café teclar e por isso … hasta la vista

2.8.06

O calor

Está muito calor para andar perto dos fogões. A família já foi de férias e ando a cozinhar para mim. Ontem descongelei um resto de caril de frango , fiz um pouco de arroz e foi isso o meu jantar.
Abri um melão tão fraquito que tive de lhe dar uma ajuda . Cortei umas talhadas , tirei a casca , parti em pedaços e deitei-lhes uma colher de sopa com açúcar e outra com coco ralado . Ficou muito melhor do que estava antes . Garanto.
A minha mãe levou lá a casa um frasco de doce de ginja , mas já não há ginjas e eu não sei fazer aquele doce . Sorry !