30.5.05

Festa no Alentejo - pt2

O meu companheiro na tarefa de dar música, também arranjou tempo para mostrar a sua grande arte culinária. Preparou umas beringelas cuja receita escreverei amanhã ou depois ( antes que me esqueça ) e também uma das coisas mais fáceis que já vi fazer e cujo resultado é excelente. Feta com Pesto Compra-se feta grega e um frasco de pesto de manjericão . Parte-se a feta em pedaços pequenos que se arrumam num prato e por cima de cada um deita-se uma colher de chá com pesto . Pronto , já está . Acompanha-se com vinho branco muito fresco e umas bolachas de água e sal por exemplo . Falta dizer que este DJ / Cook é grego e quando nos viu a acender as brasas para grelhar umas febras , pegou em fatias de pão alentejano que eu tinha cortado , colocou em cima pedaços generosos de um bom queijo de Castelo Branco e deixou que o calor das brasas derretesse o queijo, ao mesmo tempo que ia aquecendo e torrando o pão . Assim não há dieta que aguente ...

Festa no Alentejo - pt1

Este fim de semana houve festa. Estive no Alentejo, entre quarta-feira e domingo, em casa de uns amigos que tinham programada uma festa rija para o dia de sábado . Durante estes dias estiveram lá em casa muitas pessoas e, como tal, houve muita actividade na cozinha e algumas visitas a um dos excelentes restaurantes da zona . Na quarta-feira fomos jantar ao restaurante . Eu comi umas costeletas de borrego grelhadas que estavam muito boas , os demais pediram lombo de porco no forno com esparregado . O destaque foi para o esparregado, que na verdade era uma espécie de migas de espinafres, com muito espinafre e pouco pão . Nos dias seguintes o número de pessoas foi aumentando - no sábado eram 80 - e houve várias refeições em casa . Num dos dias fiz uns legumes guisados com especiarias - um improviso com batatas , couve flor , cenouras e cougetes , que se foram juntar na panela a uma mistura de cebola às rodelas , tomate e alho , mistura essa que eu animei com especiarias - 1/2 colher de chá com cominhos , 1 colher de chá com coentros moídos , 1 colher de chá com pimenta da jamaica , 1/2 colher de chá com canela e 1 colher de sopa com oregãos . Deitei na panela os legumes crus, envolvi na cebolada , tapei e deixei cozer durante 20 minutos , passados os quais destapei para reduzir o líquido . A couve flor foi cozida à parte e adicionada nos ultimos 5 minutos . Os legumes foram para a mesa com uma tigela de iogurte misturado com alho muito picado , sal , uma pitada de cominhos , pepino ralado , salsa picada , azeite e umas gotas de sumo de limão ( ou seja , uma espécie de tzatziki ) . Com salada , vinho branco gelado e pão alentejano , desapareceu tudo num instante . Para a festa fiz a sopa de beterraba cuja receita está já algures nos arquivos deste blog , fiz cuscus com feijão frade que também anda por aí e não fiz mais porque estava cheio de vontade de trocar os pratos da cozinha pelos pratos do DJ - sim, que aquilo era uma festa a sério , com dois DJ's , que estiveram de serviço ininterrupto entre as 18h e as 6h da manhã . Por acaso o outro DJ também andou ( e muito bem) pela cozinha , mas isso fica para depois .

25.5.05

Sabores do mundo - Muita atenção !!!

Link Um site de referência que muita falta nos fazia a todos. Há lá muita informação relativa a moradas de mercearias , restaurantes , receitas do mundo etc . Tudo isto muito bem apresentado . Enfim um site muito sério, que ,caso se mantenha actualizado vai ser muito útil . Nota negativa: não vem lá o Tentação de Goa , tenho de lhes escrever a informar .

Caril seco de beringela

Para esta receita são precisos 3 ingredientes que vão exigir uma visita a uma mercearia indiana . Consultem o link dos Sabores do Mundo, para ver moradas . Sementes de mostarda preta Urad dal ( é um tipo de lentilhas ) Folhas de caril Numa frigideira ( ou wok ) aquecem-se 3 ou 4 colheres de óleo e deitam-se lá as sementes de mostarda . Quando estas começarem a estoirar juntam-se 10 folhas de caril e uma colher de sopa com urad dal. Frita-se tudo até que as lentilhas comecem a ficar douradas ( mais ou menos 2 minutos sempre a mexer ), e então juntam-se duas cebolas às rodelas que fritam durante 5 minutos , passados os quais se junta o sal necessário ( pouco) , ½ colher de chá com curcuma , uma malagueta verde cortada ( para os que têm medo do picante , podem juntar duas tiras de pimento verde picado , mas não é a mesma coisa ) . Depois entram na frigideira dois tomates picados, sem peles nem sementes e os pedaços de beringela que saíram da receita anterior . Nesta altura, onde se lê pedaços de beringela pode-se ler feijão verde migado , brócolos em pedaços pequenos , cubos de batata etc … Anything goes . Os legumes cozinham até estarem comentíveis , o que deve levar entre 10 a 15 minutos . Depois conforme os gostos podem-se juntar coentros picados , coco ralado , sumo de limão … ou nada !

Recheio de carne para pimentos ou beringelas

Temperar meio quilo de carne de vaca picada com : 1 dente de alho picado 1 molho pequeno de coentros picados 1 colher de sobremesa com gengibre picado 1 colher de chá com curcuma Picar bem duas cebolas e deixá-las refogar num pouco de azeite , deitar sal e duas colheres de chá com garam massala ( em alternativa misturar 1 colh de chá de coentros moídos , com ½ colh de chá de cominhos moídos e ½ colh de chá com pimenta e dois cravinhos ) . Mexer bem e misturar a carne que deve fritar e ficar bem misturada com a cebola . Essa mistura serve para rechear pimentos verdes – tira-se a tampa , limpam-se as sementes e enche-se o pimento com o recheio . Vai ao forno durante 30 minutos Também se podem rechear beringelas . Para isso, abrem-se as beringelas ao meio , dão-se uns golpes na parte branca , sem chegar à pele , e deixam-se durante 20 minutos cobertas de água salgada . Passado esse tempo secam-se, e com uma colher escava-se a beringela , para arranjar espaço para o picado . A ideia é transformar a beringela num recipiente que possa depois ir ao forno durante 30 minutos . Em ambos os casos, eu como o recheio e o legume . Os pedaços de beringela que se retiram servem para fazer um acompanhamento .

23.5.05

Aproveitar os restos

No sábado só eu e o meu filho é que almoçámos . Foi altura de aproveitar o resto do arroz com feijão preto que estava muito bom e por isso eu o tinha guardado , bem como duas salsichas grelhadas que tinham sobrado da mesma refeição . Comecei por cortar as salsichas às rodelas que fritei ligeiramente em azeite. Foi uma fritura muito breve , apenas para aquecer as rodelitas , que logo tirei do lume e guardei. Depois piquei um dente de alho para a mesma frigideira , e assim que este começou a pedir ajuda que o calor era muito , juntei o arroz de feijão e comecei a fazê-lo saltar com movimentos de pulso dignos de um jogador de matraquilhos . A ideia é dar uma fritadela no arroz sem que este se pegue . Ao fim de 3 ou 4 minutos juntei as rodelas de salsicha e passei o arroz para duas frigideiras de barro onde iria para a mesa , com um ovo (pouco) estrelado por cima . Mmmmmh , quando a gema começa a escorrer por cima do arroz , tudo aquilo fica delicioso . Bem , pelo menos para mim que gosto de restos …

20.5.05

Arroz de feijão

A minha filha gosta de feijão de toda a maneira , seja feijão branco , vermelho ou preto , seja acabado de cozer ou mesmo de lata . Ontem , quando eu estava a preparar o jantar , apareceu ela e perguntou : - Pai , o que é o almoço ? Depois de corrigida o engano eu disse-lhe que seriam Salsichas frescas grelhadas com arroz de feijão preto , e logo ela pediu : - Posso ver o feijão ? e depois - Posso provar ? e - Quero mais ! Se a mãe não a tivesse chamado para o banho iria continuar a pedir-me feijões e eu teria de fazer outro arroz qualquer . Para fazer o arroz deitei um pouco de azeite numa caçarola , juntei 5 rodelas de chouriço que fritaram um pouco no azeite , e depois juntei um dente de alho e uma folha de louro ( partida ao meio para retirar o veio central ) , mexi e passado um minuto deitei na caçarola umas tiras de pimento ( grandes para se poderem tirar no final ) e uma cebola picada que refogou durante 5 minutos durante os quais fui mexendo para evitar que a cebola se queimasse . Chegado a este ponto juntei sal e meia colher de café com cominhos , voltei a mexer e deitei 4 colheres de sopa de polpa de tomate e pouco depois despejei a lata ( pequena ) de feijão preto e deitei um pouco de orégãos . Tapei e deixei fervilhar durante 5 minutos , passados os quais foi o arroz (2 chávenas ) fazer companhia ao resto . Este arroz foi regado com 4 chávenas de água a ferver , marquei 10 minutos no relógio do fogão , mexi e tapei . Enquanto o arroz cozia, mantive a panela da água quente ao lume, para o caso de não serem suficientes as 4 chávenas de água , mas acabou por não ser preciso . Antes de servir tirei as tiras de pimento. Enquanto o arroz cozia fui grelhando as salsichas cuja preparação não merece mais conversa . No meu prato juntei umas gotas generosas de piri-piri ao arroz .

12.5.05

blog do arroz queimado - 2

Nos últimos tempos, em minha casa, tenho sido gozado por causa de uns grelhados que fiz nas férias em Cabanas . Segundo as más línguas tenho uma nova receita para fazer febras de porco na brasa . Tempera-se um frango com alho e sal . Reserva-se . Acendem-se as brasas e deixa-se atear bem . Põe-se o frango a grelhar e quando este estiver bem queimado ( preto como o carvão ) , deita-se fora e de seguida convocam-se as febras, que poderão então ser grelhadas apenas com um pouco de sal grosso . Não se volta a falar no frango !

11.5.05

Especial Taborda – comida boa e simples de preparar

É possível conseguir um prato muito decente, saudável , simples e rápido de preparar . ou seja , o ideal para pôr tudo à mesa em pouco tempo . Trata-se de um peixinho no forno com puré de batata que não leva mais de meia hora, desde que se tempera o peixe até que se começa a comer. Para isso é preciso alguma organização , isto é , já ter tudo em casa , respeitar a ordem das tarefas e não ir a correr à sala mudar o dvd do Tom & Jerry ou atender o telemóvel . Concentração ... Ingredientes 1 pacote de centros ou medalhões de pescada 1 folha de papel de alumínio 1 cebola 6 pés de coentros ( ou mais ) sal limão 1 pacote de puré de batata congelado leite A primeira coisa é descongelar o peixe , basta que na manhã do próprio dia o tires do congelador e o ponhas dentro do frigorífico. Assim que começar a contar a meia hora acendes o forno no 4 que fica a aquecer enquanto preparas o resto . A folha de alumínio deve ser grandinha para que depois de dobrada ao meio ainda chegue para guardar o peixe e ser fechada . Nessa folha deitas um pouco de azeite , colocas os lombinhos do peixe e temperas com sal .Espalhas a cebola às rodelas e os coentros que nem precisam de ser picados . Entretanto preparas o puré ( congelado claro que ninguém tem pachorra para estar a cozer batatas e fazer o puré ) e assim que ele estiver ao lume acabas o peixe . Para isso basta espremer meio limão e fechar o pacote . Esse embrulho vai para o forno dentro de um prato . A temperatura sobe para o 6 e o relógio deve marcar 15 minutos . . Resta acabar o puré de batata e assim que o relógio do forno apitar podes ir para a mesa . Que tal ?

10.5.05

O blog do arroz queimado

Por aqui nos comentários anda uma troca de ideias com a autora do blog Pé de maconha usa havaiana , e aí nasceu o blog do arroz queimado .Esse blog não vai existir porque a miss Caipira não se mostrou interessada , mas eu fiquei a pensar que de quando em vez posso relatar aqui experiências falhadas . Por exemplo : Há 3 dias atrás fiz uma salada com rúcula , tomate e mozarella . Se lhe tivesse deitado um fiozinho de azeite e um pouco de sal a coisa ficava por aqui , ams eu resolvi fazer um daqueles temperos que os cozinheiros da BBC fazem , misturando mel , soja ,óleo de sésamo etc . Quando temperei e vi os pedaços de queijo ficarem castanhos pensei em deitar tudo para o lixo ... e deitei mesmo !

9.5.05

Desculpas

Tenho coisas para escrever mas falta-me tempo . Por aqui aparecerão (soon ) as receitas já prometidas e ainda uns pimentos recheados que hei-de fazer e relatar . Entretanto podem experimentar os calulus que por aqui andam ...

2.5.05

Pão , sabem o que é ???

Ali na zona o pão tem as honras que merece , e vai-se comprar pão de Cacela , ou de Alcarias etc , conforme a origem . Está identificado, as pessoas perguntam na mercearia quando é que chega o pão de Cacela, ou outro que seja da sua predilecção . Se passarem por ali podem comprar pão do melhor que se faz em Portugal, parando em Altura , uns metros antes do cruzamento que vai em direção ao mar , do lado direito de quem vai para Espanha . Aí encontram uma padaria com pão a sério . Ou então entrem em Vila Nova de Cacela e perguntem pela padaria .... vale a pena .

Borrego guisado

1 perna de borrego partida 3 tomates 2 cebolas 5 colhe de sopa azeite 1 dente de alho 1 pitada de orégãos louro sal e pimenta Aqueci o azeite, juntei o dente de alho e dei uma fritadela rápida à carne – lume forte e pouca carne de cada vez ) . Quando já estava a carne toda alourada , juntei-lhe as cebolas mais ou menos picadas e os tomates sem peles nem pevides , também partidos . Mexi e deitei os habituais sal e pimenta .Também juntei orégãos porque lá em Cabanas apetece-me pô-los em tudo. Então tapei e assim passaram 40 minutos ( mais ou menos ) ao fim dos quais a carne estava com aspecto apetitoso e a panela tinha uma quantidade de líquido apreciável . Nesta altura pensei em juntar batatas mas não o fiz . Torrei uma fatias de pão e foi assim que o borreguito marchou .

Mais comida das férias

Durante as minhas férias , os ingredientes de que disponho são reduzidos e como tal as receitas tendem a aproximar-se . No entanto , quem se der ao trabalho de experimentar poderá confirmar que é possível fazer muita coisa diferente com meia duzia de produtos . Esta semana em Cabanas , foi um tempo de cebolas e tomates , com os quais se podem fazer belas saladas ( basta juntar orégãos , azeite e sal ) , as amêijoas com massa que já relatei , o borrego guisado e os berbigões com cebolada que se seguem . Isso e muito mais coisas , como é claro . Os próximos posts serão as receitas do borrego guisado dos berbigões e dos ovos mexidos com chouriço, que dentro do bom pão da zona , podem fazer as vezes de um almoço na praia.